shadow

por Tadeu Alvarenga

Existe uma passagem em Guerra nas Estrelas – mas precisamente em O Império Contra Ataca – que eu gosto muito. Eu me refiro àquela cena em que Yoda pede a Luke Skywalker – o “mocinho” dos três primeiros filmes da saga – que erga, com a Força, a sua Nave, que havia afundado no Pântano. Luke responde:

– “Tudo Bem, eu vou tentar.”

Yoda franze a testa e retruca:

– “Faça ou não Faça. Não existe tentar.”

Luke tenta retirar a Nave parcialmente submersa do Pântano, usando a Força, e… falha. Contrariado, diz que é “impossível” retirar a Nave de onde está. Yoda se concentra e, utilizando a Força, ergue a Nave que flutua por sobre o Pântano até pousar em terra seca. O diálogo que se segue é extraordinariamente esclarecedor. Luke murmura um “Eu não acredito”, ao qual Yoda responde “E é por isso que você fracassa”.

Esta é uma cena bastante curta (poucos minutos) do Filme, mas extremamente rica em significados. Existem dois destes significados, duas lições importantes que podemos extrair desta passagem, que eu gostaria de compartilhar com vocês hoje.

A primeira importante lição que podemos tirar deste episódio é a de que “tentar” é uma palavra que devemos banir do nosso vocabulário o quanto antes. Como Yoda diz muito bem, “não existe tentar”: ou fazemos uma coisa ou não fazemos. Se alguém te disser que vai tentar te ligar, muito possivelmente, esse alguém não vai te ligar nem tão cedo! Além do mais, o uso abusivo da palavra “tentar”, no nosso dia-a-dia pode passar uma impressão de debilidade, de fraqueza, e contribuir para que os outros tenha um conceito negativo de nós. Por outro lado, eliminando esta palavra do nosso vocabulário ganhamos em assertividade e decisão, e crescemos no conceito dos que estão à nossa volta.

A segunda lição, menos óbvia, é uma lição sobre Liderança, e que pode ser colocada desta forma: Lidere pelo exemplo. Quando Luke afirma que é “impossível” erguer a Nave, Yoda toma a frente e o faz. O Líder que deseja conquistar o respeito dos liderados deve dar o exemplo. Sabemos que o famoso “faça o que digo, mas não faça o que faço” não se aplica mais à Realidade das empresas – a não ser como fonte de descrédito. Um empresário, um gerente ou um Líder que deseja que os funcionários sejam educados com os clientes, por exemplo, deve se mostrar, ele mesmo, uma pessoa educada – não só para com os clientes, mas também com os próprios funcionários. Se, ao contrário, o empresário gritar e esbravejar com os funcionários por qualquer coisa, a grande probabilidade é a de que os funcionários venham a “descontar” em alguém – uns nos outros talvez, mas com certeza nos clientes. Demonstre primeiro aquilo que você deseja dos outros – e aumentará em muito a chance de obtê-lo. No Filme de George Lucas, esta lição é colocada de forma bem clara, porque é a partir desta cena que Luke passa a levar o seu Treinamento com o Mestre Yoda “a sério”.

O Papel do Coach – e do Líder-Coach – é justamente este, é ajudar o Coachee a dar este Primeiro Passo Fundamental, a sair do “tentar” e efetivamente Fazer.

Tadeu Alvarenga
Palestrante, Consultor e Coach Empresarial. Médico com Pós-graduação em Medicina Ocupacional e Medicina Ortomolecular, especializado em Gestão do Stress e Qualidade de Vida. Coach com Formação em Integrative Coaching, Solution-Focused Coaching e Systemic Counselling. Com Formação em Hipnose Médica, possui 16 anos de Experiência em Motivação e Comportamento Humano. Pós-Graduado em Marketing Estratégico e Pedagogia Empresarial, desenvolve Treinamentos e Palestras focados no Crescimento Pessoal e Profissional de seus Clientes. Sócio-Diretor da Alves e Alvarenga Consultoria em Gestão e Desenvolvimento de Pessoas. Contatos podem ser realizados pelo e-mailcontato@tadeualvarenga.com e pelo Site www.tadeualvarenga.com.

Publicidade

shadow


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.