shadow

Na história, dia de relembrar as bravas mulheres que foram queimadas vivas por lutarem por seus MÍNIMOS DIREITOS.

Na atualidade, dia de lembrar/perceber as mulheres que lutam pelos seus DIREITOS, ou seja, por aquilo que representa algo seu e não algo dado, esmola ou benesse.

Seja por gostar de entender de história para evoluir no presente e projetar o futuro, seja por compreender nesta data muito mais que um dia de flores, bombons e presentes, faço uma paráfrase e um resumo sintético em sua dedicatória.

A paráfrase é do texto do livro O Caçador de Pipas, onde ele menciona sobre o ato de roubar, aonde tudo de errado que existe é roubo ou uma variante de roubo:

“Existe apenas um pecado, um só. E esse pecado é roubar. Qualquer outro é simplesmente a variação do roubo. Quando você mata um homem, está roubando uma vida, está roubando da esposa o direito de ter um marido, roubando dos filhos o direito de ter um pai. Quando você mente, está roubando de alguém o direito de saber a verdade. Quando você trapaceia, está roubando o direito à justiça. Entende? Não há ato mais infame que roubar.”

– O Caçador de Pipas.

E como resumo sintético, afirmo que tudo nesta data se resume a respeito.

Respeito quando uma mulher diz não. Ela não quer dizer talvez, pode ser, ou ela não sabe o que está perdendo, ou ela ainda não sabe o que é bom pra ela. ELA SABE. E o não apenas quer dizer que na opinião dela, não é melhor pra ela. Respeitar o não é tão básico quanto respeitar a opinião do próximo (e infelizmente ainda estamos distantes de ambas as realidades).

Respeito a igualdade salarial. Pagamos diferente porque as mulheres podem gerar filhos, seria isto? Seria esta a nossa resposta enquanto empresas para a continuidade da raça humana? O que literalmente vejo são mulheres muito, mas muito mais capacitadas sendo menosprezadas por conceitos antigos, tanto quanto por fogo em pessoas vivas para tentar silenciar seus direitos.

Respeito às suas escolhas. Se a mulher escolheu uma roupa diferente, não ter filhos, ter filhos, enfim, se ela escolheu, respeite. Podemos discordar, afinal, a unanimidade é burra, já disse Nelson Rodrigues.  Entretanto, discordar não é subjugar a sua vontade sobre a vontade do próximo. Aliás, respeitar significa aceitar que ideias divergentes podem conviver pacificamente, pois o certo não é a ideia A ou ideia B, mas o respeito que se tem pelas crenças e verdades de cada um, independente de gênero.

Quiçá esta data tão importante deve ser mais do que apenas o dia internacional da mulher, deve ser o dia internacional do respeito à mulher.

Respeito, enfim, a tudo que representa a individualidade da mulher, assim, como a do homem, assim como das infinitas escolhas de gẽnero da atualidade.

Respeito, simples, direto, objetivo e muito profundo.

Respeito. Respeite. Aceite.

A vida flui quando respeitamos e aceitamos todos na sua existência de forma coexistente.

#FraternoAbraço

Gustavo Rocha
Consultoria GustavoRocha.com  |  Gestão, Tecnologia e Marketing Estratégicos
Robôs  | Inteligência Artificial  |  Jurimetria
(51) 98163.3333  | gustavo@gustavorocha.com  | www.gustavorocha.com

Publicidade

shadow


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.