shadow

Edmour Saiani

Porque franquias vão continuar a existir… ou não…

Franquias são a forma mais difundida de se expandir um conceito de negócios. Poucas foram e são muito bem sucedidas. Algumas vivem por aí. A grande maioria está fadada a morrer em um tempo mais curto que qualquer franqueado, ou pior, franqueador, possa imaginar.

Há vacinas, há remédios. Às vezes é preciso um transplante. Principalmente para aquelas franquias que cresceram, cresceram e cresceram, mas só no corpo. O transplante recomendado é de alma. Franquia sem alma não se sustenta por mais de uma década.

Franquia e a esperança

Não há como se negar a importância social do sistema de franquias. Além de gerar empregos profissionalizantes para empregados carentes de oportunidades, ajudou a manter a auto-estima de uma grande quantidade de executivos muito bem-preparados que viram o fim do seu ciclo profissional de assalariados de luxo chegar. E pior ainda: tiveram que abandonar a carreira que construíram sem que tivessem como alternativa de recolocação, algum lugar parecido com o que estavam acostumados para ir.

Num sistema de franquia os papéis são muito claros, apesar de muita gente querer distorcer ou complicar: o franqueador é dono do conceito e o franqueado adere ao conceito depois de “comprar” a idéia. Quem corre mais risco com a franquia na verdade é o franqueado. Uma franquia fracassada não mata a franquia, mas pode arruinar a vida do franqueado.

Por ser a esperança de muita gente, o papel de franqueador é muito sério. Requer muita responsabilidade e gera compromissos para toda a vida. Afinal, muitas vezes usa os recursos de toda uma vida.

Franquia e as pessoas

Todo mundo sabe que franquia é um processo muito inteligente para se expandir um negócio. Pessoas que têm idéias brilhantes convencem pessoas que têm recursos financeiros e não sabem onde aplicar a aderir a um modelo de negócio. Encontrar conceitos “franqueáveis” é lei. Mas encontrar franqueados competentes é sobrevida. Aí começa o problema. Quem é o melhor franqueado?

O melhor franqueado é aquele que tem recursos financeiros e quer aplicar? Ou aquele que quer se realizar através de um trabalho onde possa exercer suas competências? Apesar de muita gente aplicar a resposta número 1, a resposta número 2 é a correta.

Outro dilema: o que espero do franqueado? Que ele seja empreendedor ou o empresário? A palavra empreendedor tem que ser muito bem explicada para quem quer se candidatar a franqueado. Empreendedor é aquele que se presta a inovar, ter idéias novas e criar conceitos. É esse o parceiro que você está pronto a ter como parceiro para a vida? Ou é melhor alguém que seja empresário? Alguém que faça funcionar muito bem uma idéia que o franqueador teve? Ou mais profundo ainda: o que você quer é ter empregados de luxo que se virem para tocar o negócio que você inventou? Calados. Sem dar opinião… Só batalhando para atingir as metas que você definiu?

É bom refletir. Franqueado tem que estar com a alma presente no negócio de franquia. Só o bolso se apresentar não é suficiente. Andei discutindo com o Mário, um dos sócios da Spoleto e ele me fez repensar uma coisa que falo sempre. Dono de negócio tem que estar todo dia no negócio. Se o seu franqueado é o seu representante ele tem que estar todo dia lá. Mas, aí é que o Mário me ajudou, não o dia inteiro. Varejo é um negócio duro e sacrificado, mas o varejista também tem que ter tempo para viver. Tem que estar todo dia no negócio de alma para que o corpo do negócio esteja forte. Então a alma do varejista tem que estar bem. E presente…

Franquias do século XXI

As franquias em geral querem empresários que “toquem” o negócio. As piores preferem empregados de luxo. As do século em que estamos vivendo querem um pouco de cada vocação do seu franqueado. Um pouco do empregado que segue a missão da empresa e atinge as metas. Um pouco do empresário que consegue superar metas continuamente. E um pouco do empreendedor que, além de atingir e superar metas, ajuda a renovar o conceito do negócio.

Coisa de maluco? Pode parecer, mas é mais para esperteza que maluquice. Se um negócio conta com mais de 100 parceiros porque não contar com que esses parceiros criem e inovem? O mix de energia ideal para um franqueado é 80% trabalhando para fazer as coisas como você recomendou e bater as metas. 15% tentando superar as metas e melhorar os processos. E 5% tentando fazer coisas que a sua franquia não recomenda. Mas se ele fizer e tiver sucesso, estas ações de inovação se incorporarão ao patrimônio da marca e ajudarão sua franquia a se tornar uma franquia do século XXI – renovável. Auto-renovável. Energia de dentro agitando o conceito.

O sistema de franquia é tão inteligente que até nesse ponto leva vantagem sobre as empresas convencionais de patrão e empregado. Nelas, o empregado é muito mais obediente, tem muitas vezes medo de perder o emprego e desafia pouco a instituição. Na franquia, o franqueado ideal faz os 95% de obrigação, mas mantém os 5% de rebeldia criativa e fica pensando num jeito de fazer coisas que o franqueador não recomendou. Você decide se quer uma franquia onde você é Branca de Neve e o resto do pessoal os 145 anões ou quer uma em que todos sejam construtores do seu negócio. Qual você decidiu ter?

Franquia e as relações

Na grande maioria dos sistemas de franquia a informação e energia que fluem do franqueador para o franqueado é orientação sobre processos que garantam a entrega do produto da franquia.

O corpo é prioridade! Conheço poucas franquias onde o franqueador está tão preocupado com a qualidade e a motivação das pessoas quanto com o processo e o produto. Precisa estar!

A alma precisa ser prioridade também! O Cliente se preocupa com a qualidade da pizza, mas se preocupa e muito com o que o entregador faz ao entregar a pizza ou com a cara de quem está no caixa.

E mais, com como está o humor, o ânimo e a motivação do franqueado no dia a dia. Se está bem, se está precisando de ajuda, se está precisando trocar um idéia para ter ajuda em algum assunto que a franquia ainda não o ajudou…

Franquias de corpo e alma

Franquias de corpo cuidam muito bem do produto, do padrão, da cara da loja. Franquias de alma cuidam do ânimo de todos até chegar ao Cliente final.

Franquias de corpo conseguem ter resultados por um certo tempo. Franquias de corpo constroem resultados de curto prazo.
Franquias de alma constroem reputação todos os dias. E garantem que o resultado de hoje vai se repetir e crescer a longo prazo.

Se você leu até aqui já pode avaliar. Sua franquia é de corpo? Ou de corpo e alma?

Você ouve sistematicamente os seus franqueados? Você tem processos para coletar as melhores práticas e as transforma em script e padrão da sua franquia? Você coleta as piores práticas para disseminar entre todos e garantir que ninguém repita os erros que alguém cometeu? Você está focado na expansão ou na manutenção da sua franquia?

Qual a energia que você quer ter do seu franqueado? Idolatria? Admiração? Medo? Raiva? Amizade? Franqueza? Você tem que decidir. E mudar sempre que for preciso.

Se sua franquia for de corpo ela é imitável a qualquer momento. Apenas franquias de alma são inimitáveis. Repense, reaja e interaja.

Comece já.

Senão quando a sua franquia morrer você nem vai saber onde enterrar o corpo. A alma? Não se preocupe. Se sua franquia tiver alma ela não vai morrer.

Edmour Saiani

Publicidade

shadow


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.