shadow

Fonte: Só Franquias – 

O franchising é um dos segmentos que mais crescem no Brasil, apresentando números atraentes para os futuros empreendedores. A ABF (Associação Brasileira de Franchising) divulgou recentemente que as projeções de crescimento deste ramo para 2006 são de 14%, registrando um crescimento médio de faturamento de 3,2% em relação ao ano anterior. Hoje, o segmento é responsável por um faturamento anual de 35 bilhões de reais (2% do PIB brasileiro).

Uma pesquisa do SEBRAE aponta ainda que mais da metade das micro e pequenas empresas fecham antes mesmo de completar dois anos de existência. No entanto, quando se trata de uma franquia, esta taxa de mortalidade cai para apenas 6%. Por isso, cada vez mais os empreendedores optam por este modelo de negócio, cujo foco é a transferência de know-how e o respaldo de uma marca forte, já reconhecida no mercado.

A área de Educação e Treinamento é uma das que mais crescem neste modelo. De 2004 para 2005, foi registrado 18% de crescimento, segundo a pesquisa anual da ABF. Isso explica a grande procura por franquias da área, como o CNA – rede de ensino de idiomas – e a Data Byte, especializada em cursos de informática e capacitação profissional.

“Sempre vesti a camisa do CNA e a rede sempre me deu todo suporte de que precisei. Fiz o treinamento oficial em São Paulo e me surpreendi positivamente com o tratamento oferecido aos franqueados. A franquia proporciona maior segurança, pois os riscos de errar são menores”, diz Elizabete Holanda, franqueada da Unidade CNA Porto Velho (RO).

Segundo o estudo “Franquia Empresarial no Brasil: Relacionamento Franqueador – Franqueado”, realizado pela FIA – Fundação Instituto de Administração, o franqueado considera a marca seu maior benefício e 82,5% se dizem satisfeitos ou muito satisfeitos com seus negócios. 18,5% dos franqueados apontam que ter um negócio com reconhecimento de mercado é uma chance a mais de obter sucesso.

“Com uma franquia os riscos de erro diminuem muito, pois o franqueado acaba tirando proveito da experiência que aquela rede tem no mercado. Foi o que fiz com a Data Byte, que me deu todo suporte, forneceu todo material e ainda pude contar com sistemas de informação e com as ferramentas para o meu negócio”, diz João Antônio Ribeiro, franqueado da Unidade Data Byte Saúde, Vila Barros e Vila da Mercês.

“Procurei abrir uma franquia exatamente por saber que os riscos de fechar as portas com outro tipo de negócio são grandes e escolhi o CNA porque tenho confiança na marca. Gostei muito do suporte que tive antes e após a abertura da Unidade. O CNA tem o cuidado de verificar as áreas disponíveis, pesquisando a viabilidade. Enquanto isso, o franqueado passa por um treinamento que inclui até como escolher um bom local para abrir sua franquia. Após a abertura da Unidade, algumas pessoas acompanham seu desenvolvimento e dos funcionários. Em uma das minhas escolas projetei 80 alunos e em pouco tempo já estava com 320 alunos”, conta Ernani Borsatti, franqueado das Unidades CNA Itaquaquecetuba e Vila Maria de São Paulo.

Além dos números positivos, o futuro empreendedor conta com o apoio de consultorias, gestão especializada, qualificação dos funcionários, entre outras vantagens que as franquias oferecem, proporcionando mais garantias para que o negócio mantenha as portas abertas e gere lucro aos investidores.

“Eu procurei uma franquia tentando acertar, pois sei que estaria comprando um bom negócio, ou melhor, um negócio que já deu certo, que já está experimentado e assim não corri o risco de escolher o ponto errado. A Data Byte me deu 100% das condições que eu precisava, pude contar com suporte para as minhas dúvidas, na parte administrativa, financeira, de marketing, entre outros”, argumenta o franqueado Hiroshi Kassawara, dono de sete Unidades da Data Byte em São Paulo e Grande São Paulo.

“Sem dúvida nenhuma, me sinto mais segura tendo uma franquia, pois sei que posso me atualizar, tendo toda a infra-estrutura da franqueadora por trás, trabalhando junto comigo. Tenho suporte pedagógico e administrativo, além de treinamento para o franqueado e funcionários. Abri minha primeira franquia do CNA há 11 anos e sei que fiz a escolha certa. Antes de optar pela rede fiz um estudo sobre franquia de idiomas e educação e constatei que o CNA tinha mais a oferecer, pois tem um atendimento maravilhoso ao franqueado”, diz Elizabete Xavier, do CNA Niterói Fonseca e CNA Niterói Icaraí, do Rio de Janeiro.

O mercado de franchising é também um importante gerador de empregos. Somente em 2005, foram 22 mil novos postos de trabalho (4,1% superior a 2004), totalizando cerca de 600 mil vagas.

O Brasil é o 6º maior mercado em redes de franquias do mundo, sendo que 89% são marcas nacionais.

Fonte: http://www.sofranquias.com.br/artigos/artigos.php?tid=55

Publicidade

shadow


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.