O MAIS COMPLETO PORTAL DO BRASIL PARA EMPREENDEDORES

GESTÃO FINANCEIRA NA PRÁTICA – 4ª Parte

Balanço Gerencial 
fonte: Manual de Gestão Financeira do SEBRAE

O objetivo do Balanço Gerencial é demonstrar onde os recursos financeiros foram aplicados na empresa (Ativo), como também as fontes de recursos financeiros (Passivo + Patrimônio Líquido). O Ativo é composto por bens e direitos da empresa. O Passivo representa dívidas com terceiros e o Patrimônio Líquido (PL) os recursos financeiros dos sócios ou proprietários investidos na empresa.

Apresentamos abaixo um modelo do Balanço Gerencial.

Balanço Gerencial

ATIVO
.31/10/2001
31/10/2002
PASSIVO
31/10/2001
31/10/2002
Disponível
440,00
200,00
Fornecedores
11.250,00
200,00
Contas a Receber
5.000,00
5.300,00
Contas a Pagar
5.000,00
5.300,00
Estoque
20.000,00
21.000,00
Empréstimos
0,00
21.000,00
Imobilizado
14.560,00
15.000,00
Total do Passivo
16.250,00
15.000,00
s
0
0
Patrimônio Líquido
s
0
0
Capital
21.560,00
23.000,00
s
0
0
Lucros Acumulados
1.440,00
(750,00)
s
0
0
Total do Patrimônio
23.750,00
22.250,00
Total do Ativo
40.000,00
41.500,00
Total Passivo + PL
40.000,00
41.500,00

Considerações importantes:

– O Balanço Gerencial é dividido em duas colunas: Ativo e Passivo. O Ativo representa as aplicações de recursos feitas na empresa. O Passivo revela as origens de recursos obtidos pela empresa e que foram investidos no Ativo. Dessa maneira, o leitor pode observar que o total do Ativo sempre será igual ao total do Passivo, por uma razão bastante simples, todos os recursos financeiros que estão aplicados no Ativo, tiveram a sua origem no Passivo, ou seja, os recursos aplicados no Ativo estão sendo financiados pelos recursos dos sócios ou proprietários ou de terceiros.

– Na composição do Ativo, o Disponível representa os recursos existentes no caixa e bancos à disposição da empresa. Contas a Receber é composto por cheques pré-datados, duplicatas a receber, fatura de cartão de créditos, etc. Com relação aos estoques, os mesmos deverão ser avaliados a preço de custo de aquisição. O Imobilizado é formado pelos bens utilizados pela empresa para manter a sua estrutura operacional, por exemplo temos: instalações, prateleiras, expositores, balcão, computadores, vitrines, ar-condicionado, móveis e utensílios.

– Na composição do Passivo, a conta Fornecedores representa as dívidas que a empresa tem com os fabricantes ou distribuidores de mercadorias. As Contas a Pagar representam as despesas incorridas pela empresa e que ainda não foram pagas, onde podem ser citados: salários a pagar, impostos e encargos sociais a recolher, enfim, todos os compromissos assumidos com terceiros que deverão ser pagos nos vencimentos contratados. Empréstimos Bancários referem-se a compromissos assumidos com os bancos, em virtude de terem tomados recursos financeiros emprestados das instituições financeiras.

– O Patrimônio Líquido representa o capital inicial e os lucros acumulados durante a existência da empresa e que pertencem aos proprietários do negócio. Representa a situação líquida da empresa, ou seja, é quanto de fato pertence aos sócios caso a empresa encerre suas atividades. É apurado pela diferença feita entre o Ativo e o Passivo.

– É importante lembrar que o Lucro Líquido faz o Patrimônio Líquido da empresa aumentar, ao contrário quando acontece um prejuízo o Patrimônio Líquido diminui. O valor do Lucro Líquido não está necessariamente no caixa, podendo estar no aumento de qualquer um dos Ativos (estoques, contas a receber e imobilizado), ou na redução do Passivo (fornecedores, contas a pagar e empréstimos).

– Um detalhe importante é quando o Patrimônio Líquido diminui de um período para outro. Isto significa que os sócios estão tendo prejuízos e, dessa maneira, seus recursos aplicados na empresa estão reduzindo-se. Esse fato pode ser observado na tabela acima, em que o Patrimônio Líquido no mês de outubro de 2001 era de R$ 23.750,00, já a situação líquida do mês de outubro de 2002 foi de R$ 22.250,00. Isso ocorreu pelo fato de a empresa ter tido um prejuízo de R$ 1.500,00 no mês de outubro de 2001.


Fonte: Manual de Gestão Financeira do SEBRAE

Eijy Goto