shadow

Não se tem mais o poder sobre as decisões e o comportamento dos clientes.

Um simples clique no mouse poderá fazer com que uma única pessoa possa propagar, para milhões e milhões de pessoas, qual a sua opinião e com isso, comece a fazer parte da Comunicação Gerada pelo Cliente ou CGC.

Veja o exemplo da Dell, pioneira em vendas de computadores pela internet e conhecida, há décadas, pelo seu forte compromisso em oferecer produtos customizados e com um atendimento personalizado aos seus clientes. Em 2005 um blogueiro americano, extremamente irritado com o mau atendimento, resolveu extravasar toda a sua raiva em seu blog. Pouco tempo depois, passou a receber críticas de clientes insatisfeitos de todo o país.

A notícia se espalhou tão rápido que, quando as pessoas digitavam Dell, no Google, o blog era o primeiro a aparecer, o que começou chamar a atenção de jornais e canais de televisão gerando uma publicidade ainda mais desastrosa para a empresa. Em razão disso, as marcas digitais causadas para a empresa duraram por um período terrivelmente longo e os clientes passaram a associar a marca a um serviço malfeito.

Antigamente, tinha-se poucos canais de comunicação com o cliente. Uma reclamação feita no SAC ficava restrita ao conhecimento de poucas pessoas.

Mas a internet mudou isso. Ela proporciona aos clientes não somente uma voz coletiva, mas também uma plataforma. Eles se reúnem por meio de uma frustração comum: a desconfiança cada vez maior com o marketing e a propaganda. Hoje o CGC é o verdadeiro medidor de credibilidade da empresa e da marca.

Existe um abismo entre as promessas feitas por empresas que tem o lema “posso ajudar” e a realidade “fazer uma reclamação e não achar ninguém que queira realmente achar a solução”. Na era da Comunicação Gerada pelo Cliente, uma marca é uma promessa e seu sucesso é o reflexo de quão bem ela cumpre o que promete.

No mundo internético de hoje as pessoas estão sempre conectadas, elas raramente se desconectam. O resultado é um fluxo constante de
pensamentos, opiniões e emoções que saem do cérebro do cliente e vai
direto para a web. A internet passa agora a oferecer um conjunto de
indicadores e esse rastro de responsabilidade digital é um termômetro que está mudando as regras para as empresas em todo o mundo.

Nas próximas semanas, veremos algumas estratégias que poderão ajudar você a interpretar, analisar e responder as mensagens do exigente consumidor atual.
Prof. Menegatti é palestrante em Vendas, Motivação e Liderança. É autor de vários livros e DVDs, entre eles estão o livro “Talento – É fazer coisas comuns de forma extraordinária”, CD “O Líder Influenciador” e o DVD “Campeão de Vendas”.
Contatos: www.menegatti.srv.br – palestrante@menegatti.srv.br
Siga-nos: Twitter – @profmenegatti — Facebook – ProfMenegatti

Autor

Avatar
Eijy Goto

Publicidade

shadow

Artigos Relacionaods



Comments

  1. Avatar

    Matheus    

    Gracias por el post, son muy interesantes las dvaaerdis que planteas, pero bfno te parece que la experiencia del cliente merece una dimensif3n mayor?. Te invito a leer mi post en el link adjunto. Un saludo.

Deixe uma resposta