O MAIS COMPLETO PORTAL DO BRASIL PARA EMPREENDEDORES

INVESTINDO EM PUBLICIDADE: A TRISTE REALIDADE DAS NOSSAS EMPRESAS

por Pedro Volkmann – 

A conclusão que eu cheguei, trabalhando há 15 anos no mercado publicitário do Rio Grande do Sul é que poucas empresas tem um planejamento de marketing, mesmo que já possam.

Normalmente, temos dois tipos de empresários:

1. O que investe em propaganda quando está vendendo pouco;

2. O que investe em propaganda quando está vendendo bem.

Note bem, temos duas estratégias totalmente opostas que ajudam a vender mais. Os dois estão completamente certos. Vou explicar: o primeiro está buscando clientes em uma crise, o que é ótimo, já que, em tempos difíceis, as pessoas tendem a economizar, gastando menos nas suas compras habituais. O segundo está buscando clientes em tempos de fartura, o que é ótimo, pois as pessoas tendem a Voltar Lista quando tem dinheiro sobrando.

A grande questão é: “Não existe como conciliar as duas estratégias?”
Sim existe! A melhor forma de se manter com o maior público possível é ter um plano de comunicação com ações em todas as épocas do ano. No tempo de vacas gordas você vai vender mais e ganhar mais clientes. No tempo de vacas magras, você terá mais clientes que os outros e por isto, perderá menos, além de ser o único a ser lembrado porque continuará aparecendo. Desta forma, sairá da crise antes dos outros.

Porém, estabelecer uma estratégia continuada de comunicação pode parecer sem sentido no início, já que o dinheiro que teoricamente iria para o bolso do(s) sócio(s) não vai. É o eterno dilema das empresas pequenas e médias, a dualidade caixa da empresa x bolso do patrão. Note bem, um depende do outro, já que é importante trabalhar motivado. Se a empresa não provém de recursos para dar uma vida boa para os donos, como estes estarão fazendo de tudo para a empresa melhorar?

Então a melhor estratégia é colocar o investimento em propaganda como item na formação do preço de venda (isto parece óbvio mas não é – nos tempos de margens apertadas e espremidas pela concorrência acirrada). Deve ser um percentual que, ao mesmo tempo em que não inviabilize a venda, não seja irrisório a ponto de não permitir ações continuadas de marketing e comunicação.

Esta realidade está presente mesmo em empresas um pouco maiores, com vários anos de vida no mercado. Um pouco porque os empreendedores, na sua maioria, não vieram das escolas de administração, mas também devido ao descrédito de alguns marketeiros e publicitários (escolha bem – existem muitos ótimos no mercado) que, nas suas empresas também tem este problema: precisam vender logo para sobreviver.

Pedro Volkmann
Publicitário, sócio-gerente da Joule Publicidade (Porto Alegre/RS). Vice-presidente da AJEPOA – Associação dos Jovens Empresários de Porto Alegre.
Consultor em Porto Alegre e regiões do RS. Escritor, palestrante, consultor e seu foco principal é marketing.
E-mail: casper@joulepublicidade.com.br
Site: www.joulepublicidade.com.br

Eijy Goto