shadow

Ter funcionários competentes e de alta performance no ambiente de trabalho é um quesito que qualquer empregador almeja. Porém, não basta exigir; é preciso orientar, incentivar e, principalmente, ser um também. Já foi a Era em que o chefe mandava de forma carrasca e grosseira e o empregado apenas “engolia sapo”. Agora, com a alta competitividade, empresas buscam liderar seus funcionários de maneira igual e participativa. Foi ai que a liderança transformadora surgiu como ponte para solucionar esse abismo.

Por desconhecer o ditado “uma andorinha só não faz verão”, alguns chefes tendem a ser a pedra no sapato dos funcionários quando seguem à risca algumas características: nunca compartilha conhecimentos, cobra excessivamente o tempo todo, impõe regras e normas, é inconstante com prazos, está indisponível quando surgem os problemas e/ou é muito crítico.

Já a nova categoria de liderança veio para harmonizar e aproximar o líder e seu “seguidor”, já que o foco está nas necessidades e motivações. É como um elo: sem motivação não há produção, sem produção não há resultados, sem resultados não há lucros, sem lucros não há empresa. No entanto, usar prêmios, promoções ou aumento de salário como forma de incentivo é coisa do passado, agora, o líder tem o dever de despertar as emoções do trabalhador e valorizar seu serviço.

Um líder que sabe influenciar sua equipe e explora pontos específicos de cada um consegue alavancar o trabalho com muito mais qualidade e obter metas cada vez melhores para as organizações. Aquele que não sabe valorizar seu funcionário tende a perdê-lo e outras organizações estão de olho e saberão como fazer. Lembre-se: concorrência é o que não falta!

Diferente do Educador, o Líder Transformador contribui com procedidos adquiridos por ele mesmo durante sua caminhada profissional e consegue compartilhar isso com todos ao seu redor, ou seja, ele aprendeu e entende que aquele conhecimento precisa ser passado a diante para atingir novas metas. Ele não certifica pessoas por apenas terem ouvido a informação, ele na verdade reconhece as pessoas por alcançarem resultados. Outra característica forte do Líder Transformador é inserir o liderado na categoria certa de acordo com o seu perfil e habilidades, além disso, ele o ajuda a construir novas competências, evitando possíveis demissões.

Mas como motivar o servidor sem soar como bajulação desnecessária? O líder deverá respeitar os valores e aos princípios pessoais, adquirir uma comunicação interpessoal, ser empático, ter a capacidade de persuasão, saber lidar positivamente com os conflitos, praticar o feedback e reconhecer as limitações de cada um.

Ainda, um líder transformador é considerado confiável por seu time, pois capacita, inova, cria, respeita e reconhece as necessidades de cada geração, de modo que viabiliza a solução de problemas por parte dos seguidores. E só consegue esses resultados, porque ele passa a diante apenas aquilo que ele vive, seguindo os ideais que acredita e sabe que se colocar em prática, vai gerar resultados positivos e consequentemente estará fazendo a sua parte para transformar não só os funcionários em pessoas melhores, mas contribuindo para uma geração transformadora.
http://www.antoniabraz.com.br/artigo.asp?id=52

Autor

Avatar
Eijy Goto

Publicidade

shadow

Artigos Relacionaods



Comments

  1. Avatar

    Ideias Inovadoras    

    O líder e sempre responsável pela sua equipe. A era onde existia arrogância no tratamento de seus funcionários melhorou bastante, mas ainda no mercado de trabalho pode encontrar , funcionários desmotivados em seu trabalho pela desvalorização de seus próprios lideres. Ah muito o que ser revisto, e melhorado.

Deixe uma resposta