shadow

Divido um texto que traz uma reflexão importante nos dias atuais: Só buscamos qualidades nos colaboradores, ou apenas visualizamos seus defeitos ou temos a visão de devemos aproveitar o seu melhor e minimizar o seu pior?

Vejamos:

Dizem que, numa carpintaria ocorreu, certa vez, uma estranha assembléia: uma reunião das ferramentas para acertar suas diferenças.

O martelo exerceu a presidência, mas os participantes notificaram-no que teria que renunciar. O motivo? Fazia muito barulho, sua culpa, mas pediu também fosse expulso o parafuso, argumentando que ele dava muitas voltas para conseguir algo. Diante do ataque, o parafuso concordou, mas por sua vez, pediu a expulsão da lixa. Disse que era ela muito áspera no tratamento com os demais. A lixa acatou, com a condição de que se expulsasse a trena, que sempre media os outros, segundo a sua medidas, como se fosse a única perfeita.

Nesse instante, entrou o carpinteiro, reuniu o material e iniciou o seu trabalho. Utilizou o martelo, a lixa, a trena e o parafuso. Finalmente, a rústica madeira transformou-se num fino móvel.

Quando a carpintaria ficou finalmente só, a assembléia voltou à discussão. Foi então que o serrote tomou a palavra e ponderou:

Senhores, ficou evidente que temos defeitos, mas o carpinteiro trabalha com nossas qualidades, com nossos pontos preciosos.

Assim, não pensemos em nossos pontos fracos, concentremo-nos em nossos pontos fortes.

A assembléia compreendeu que o martelo era forte, o parafuso unia e dava força, a lixa era especial para limar e afinar asperezas e a trena era exata. Sentiram-se, então,como uma equipe capaz de produzir móveis de qualidade, e alegres pela oportunidade de trabalhar unidos.

Fato como este ocorre com os seres humanos. Quando uma pessoa busca defeitos em outra, a situação torna-se tensa e negativa.

Mas,quando se busca com sinceridade os pontos fortes dos outros florescem conquistas humanas.

É fácil encontrar defeitos. Qualquer um pode fazê-lo. Mas encontrar qualidades e ver atributos no semelhante, isto é para os sábios.

BIBLIOGRAFIA: “ALÉM DO QUE SE VÊ “ – MADRAS EDITORA, 2017
Cláudio Roque Buono Ferreira e Wagner Veneziani

Quantas vezes no trabalho ao invés de potencializarmos o melhor do nosso colega, exigimos dele nossas qualidades/atributos?

É justamente na diferença que somamos, que multiplicamos pontos fortes. Se todos forem bom no mesmo quesito, quem irá ser bom naqueles que somos fracos?

É essencial perceber esta realidade e aplicar diariamente na nossa conduta: paciẽncia, relevância e principalmente visão de futuro e de conjunto para aproveitar com sapiência o melhor de cada membro da equipe e ter resultados maravilhosos na diversidade!

Vamos fazer a diferença? Hoje! Agora! Now!

#FraternoAbraço #GustavoRocha

Consultoria GustavoRocha.com |  Gestão, Tecnologia e Marketing Estratégicos

Robôs | Inteligência Artificial | Jurimetria  | Marketing Jurídico  |  Fluxos Internos  | Plano de Carreira  | Financeiro

(51) 98163.3333  |  gustavo@gustavorocha.com  | www.gustavorocha.com

Publicidade

shadow


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.