shadow

Cálculos para determinar se a empresa é lucrativa.

Existem métodos que definem a margem de lucro, o capital de giro necessário e outras informações essenciais para uma boa administração. 

Muitos empreendedores dedicam grande energia às atividades cotidianas da empresa, relacionadas à compra, à venda, à logística e à reposição de estoques. Porém, não têm as informações necessárias para analisar o desempenho do negócio. O texto tem fórmulas simples que auxiliam no correto dimensionamento financeiro, evidenciando se a empresa é ou não rentável, qual o prazo necessário para a recuperação do investimento e outras informações de importância gerencial. 

Muitos empreendedores têm dúvidas quanto à rentabilidade de sua empresa, isso é, se ela é ou não lucrativa. Para que uma empresa seja considerada lucrativa, é preciso que apresente uma rentabilidade compatível com o risco inerente ao negócio, e que seu lucro líquido remunere o capital investido pelos sócios. 

Rentabilidade e lucratividade 
Investimento é todo o capital aplicado na empresa, como o capital social inicial, os aumentos (aportes) de capital e os lucros reinvestidos no empreendimento. Para saber a taxa de rentabilidade do investimento, basta dividir o lucro líquido pelo investimento. Assim, se uma empresa tem um lucro líquido mensal de R$ 2.000,00 e contou com investimento de R$ 80.000,00, sua taxa de rentabilidade é de 2,5 % ao mês.

Retorno do investimento 
Para calcular o prazo de retorno do investimento realizado é preciso dividir o investimento pelo lucro líquido. Considerando o exemplo anterior, em uma empresa que contou com investimento total de R$ 80.000,00 e tem um lucro líquido mensal de R$ 2.000,00, serão necessários 40 meses para que o investimento seja recuperado. 

Reinvestimento 
O valor investido em uma empresa deverá retornar na forma de lucro líquido, decorrente das operações realizadas. O lucro pode ser distribuído aos sócios a título de remuneração do capital investido ou ser reinvestido no empreendimento para o aumento do capital de giro. Esse aumento pode ser utilizado para financiar os estoques, para a aquisição de ativos fixos, como máquinas e equipamentos, para o desenvolvimento de novos produtos e novas linhas de mercadorias. As estratégias de marketing também não devem ser esquecidas. 

Margem de lucro 
Para calcular o lucro obtido é necessário partir do resultado das vendas, descontar o custo das mercadorias vendidas, as despesas variáveis e as despesas fixas, incluindo o pró-labore. Cada tipo de atividade tem uma margem de lucro. Entretanto, considera-se que nas micro e pequenas empresas de varejo, o lucro esperado varia de 5% a 10% sobre as vendas. Vale lembrar que o lucro destina-se a remunerar o capital investido na empresa. Dessa forma, é desejável que o capital investido seja remunerado, como se estivesse investido no mercado financeiro. A rentabilidade esperada deve ser de 2% a 4% ao mês, percentual que asseguraria o retorno do capital investido no prazo de 25 a 40 meses.

Lucro líquido 
O lucro líquido é calculado levando-se em conta as vendas, e subtraindo-se o custo das mercadorias vendidas, as despesas variáveis e as despesas fixas. 
Exemplo: 
– Vendas = R$ 20.000,00 (100%); 
– Custo das Mercadorias Vendidas = R$ 12.000,00 (60%); 
– Despesas Variáveis (com vendas) = R$ 1.400,00 (7%); 
– Despesas Fixas (administrativas) = R$ 5.000,00 (25%); 
– Lucro líquido = R$ 1.600,00 (8%). 

Capital de Giro 
A necessidade de capital de giro da empresa é calculada das seguintes formas: 
1. Por meio do saldo das contas no balanço patrimonial 
Necessidade de Capital de Giro = Valor das Contas a Receber + Valor em Estoque – Valor das Contas a Pagar. 
Exemplo:
Contas a Receber (R$ 25.000,00) + Estoques (R$ 40.000,00) – Contas a Pagar (R$ 35.000,00) = Necessidade de Capital de Giro (R$ 30.000,00). 
2. Por meio do Ciclo Financeiro 
CF = Prazo Médio de Estoques + Prazo Médio de Recebimentos – Prazo Médio de Pagamentos. 
Necessidade de Capital de Giro = Ciclo Financeiro x Valor das Vendas por Dia 
Exemplo:
PM Recebimentos (30 dias) + PM Estoques (45 dias) – PM Pagamentos (35 dias) = Ciclo Financeiro (40 dias). 
Se as vendas por dia forem iguais a R$ 750,00, a Necessidade de Capital de Giro é de R$ 30.000,00 (R$ 750,00 x 40 dias). 
A escolha do método mais adequado para o cálculo depende das necessidades do momento. O cálculo por meio do ciclo financeiro permite prever mais facilmente a necessidade de capital de giro em função de uma alteração nas políticas de prazos médios ou no volume de vendas. 

Ponto de Equilíbrio 
O ponto de equilíbrio é calculado das seguintes formas: 
1. Ponto de equilíbrio em valores: dividem-se as despesas fixas pelo percentual da margem de contribuição. 
Exemplo:
– Valor total das despesas fixas = R$ 5.000,00; 
– Percentual da margem de contribuição = 30%; 
– Ponto de equilíbrio: R$ 5.000,00 / 30% = R$ 16.666,67. 
2. Ponto de equilíbrio em quantidades: dividem-se as despesas fixas pelo valor da margem de contribuição. 
Exemplo:
– Valor das despesas fixas = R$ 5.000,00; 
– Valor da margem de contribuição = R$ 6,00 por unidade;
– Ponto de Equilíbrio em Qtde: R$ 5.000,00 / R$ 6,00 = 833 unidades. 

Lucro Determinado 
O procedimento é similar ao cálculo do ponto de equilíbrio, com a seguinte variação: 
– Deduzir do percentual da margem de contribuição o percentual do lucro desejado ou; 
– Aumentar no valor das despesas fixas o valor do lucro desejado. 
Exemplo: 
– Valor das despesas fixas: R$ 4.000,00; 
– Percentual da margem de contribuição: 30%; 
– Lucro desejado: 10% sobre as vendas ou R$ 2.000,00. 
– Volume de vendas – com lucro de 10%; 
– Valor das despesas fixas / (% margem – % lucro líquido); 
– R$ 4.000,00 / (30% – 10%) = R$ 20.000,00. 
– Volume de vendas – com lucro de R$ 2.000,00; 
– Valor das despesas fixas + lucro desejado / % margem de contribuição;
– (R$ 4.000,00 + 2.000,00) / 30% = R$ 20.000,00. 

Margem de Contribuição 
Para calcular a margem de contribuição é preciso partir do preço de venda e descontar o custo da mercadoria vendida e as despesas variáveis. 
Exemplo: 
Preço de Venda = R$ 20,00 (100%) – Custo das Mercadorias Vendidas = R$ 12,00 (60%) – Despesas Variáveis = R$ 2,00 (10%) = Margem de Contribuição = R$ 6,00 (30%). 

Margem de Contribuição Ponderada 
A margem de contribuição ponderada é calculada considerando a participação do produto nas vendas totais, como um peso da ponderação.
Exemplos:
– Produto A – Valor de venda = R$ 20,00; Custo = R$ 10,00; Despesas Variáveis = R$ 2,00; Margem de Contribuição = R$ 8,00; Participação nas Vendas= 30%; Margem Ponderada = 12%. 
– Produto B – Valor de venda = R$ 30,00; Custo = R$ 21,00; Despesas Variáveis = R$ 3,00; Margem de Contribuição = R$ 6,00; Participação nas Vendas = 70%; Margem Ponderada = 14%. 
Margem total de A+B = 26% 

Despesas Fixas
O limite das despesas fixas é o valor ou percentual da margem de contribuição menos o valor, ou percentual, do lucro que desejar. 
Exemplo: 
-Vendas = R$ 20.000,00 (100%);
-Custo Direto Variável = R$ 10.000,00 (50%);
-Despesas Variáveis = R$ 2.000,00 (10%);
-Margem de Contribuição = R$ 8.000,00 (40%);
-Despesas Fixas = R$ 6.000,00 (30%);
-Lucro Líquido = R$ 2.000,00 (10%).

SEBRAE
Fonte: www.sebraerj.com.br

Publicidade

shadow


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.