shadow

por Rico de Moraes – 

1. Fazendo-se ouvir:

O único momento em que o seu grupo se disporá a realmente lhe ouvir, é quando você os estiver ensinando algo de que realmente precisem, e não conheçam. Isto quer dizer que um treinamento terá melhores resultados se for feito muito próximo da necessidade de uso, ou durante as primeiras dificuldades em uma tarefa nova. Se o assunto a ser ensinado já se enquadra naturalmente nestes requisitos já estamos meio caminho andado. Se não se enquadra, salve seus esforços, e concentre-se em identificar em sua equipe as dificuldades imediatas na execução das tarefas propostas.

2. Encontre símbolos:

Para que a equipe entenda o com clareza o que será ensinado, procure analogias imediatas com a sua realidade. Isto quer dizer que se você vai ensinar juros compostos a um padeiro, explique que os juros atuam como o fermento na massa. Se for ensinar juros a um corretor de imóveis, ensine que é como um aluguel que se paga pelo dinheiro emprestado.

3. Organize de forma lógica:

Independente da grande importância de cada tema, comece ensinando tudo que será necessário para que o grupo entenda o que virá por tema principal. Por exemplo, se você vai ensinar literatura brasileira, comece explicando um pouquinho de português. Se você vai falar de seguros, comece explicando sobre a dor que uma pessoa sente com suas perdas materiais e familiares.

4. Use a lei da ignorância:

Sabemos que um instrutor deve ser culto por natureza. Por isso é preciso tomar cuidado para não “contar” que todos tenham níveis homogêneos de conhecimento (background). Considere sempre que o grupo possua o menor conhecimento possível sobre o assunto : zero. Se o grupo demonstrar que tem conhecimento prévio, melhor. Mas na maioria dos casos as pessoas concordam com tudo que você disser, inclusive quando pergunta se entenderam…

5. Use a lei dos pratos limpos:

Imagine que um cara (para não ser machista) tenha lavado pratos na cozinha, passando uma bucha com detergente sobre a sujeira, e lavado com água corrente. então seu companheiro pega o prato para usar, e percebe que ainda está um pouco sujo. O cara que lavou o prato então diz: “- Não está sujo! Eu acabei de lavar!” Moral da história: O fato de executar uma tarefa, não necessariamente garante o resultado esperado. O fato de passar detergente e lavar com água, não garante que o prato esteja limpo. O fato de você executar corretamente o seu treinamento, não garante que a equipe entenderá tudo. Portanto, guie-se pela avaliação que fará da equipe (sim, por que você a avaliará, não é mesmo?), e não pelo que você já ensinou. Guie-se por resultados e não por tarefas.

6. Mantenha ritmo!:

Seja um treinamento falado ou escrito, é preciso que se imponha um ritmo marcado em cada tópico ensinado, evitando que o grupo disperse. Se você for falar textos, treine com um metrônomo (isso mesmo! o mesmo que se usa para se aprender piano, viu cida?). Trate seu texto como música pop: Tem que ter uma chamativa introdução, um ritmo dançante, um solo no meio, e acabar rápido, para não ficar chato! Se você for executar o treinamento em módulos, mantenha uma distância controlada entre cada módulo, não deixando que se adiem aulas em prol de outras tarefas na empresa (isto se aplica somente a treinamentos em empresas).

7. Recuperação de verão:

Acostume-se a dar um treinamento residual, depois do treinamento principal, reforçando aqueles pontos que não foram bem entendidos.

8. A lei do motorista:

Lembra quando você teve suas primeiras aulas de direção (carros)? Parecia que nunca ia aprender todos aqueles procedimentos, não é? Aposto que hoje você gerencia muito bem e sem pensar, a sua embreagem, o seu freio e acelerador… Todos os novos procedimentos são iguais. Tudo que é recentemente implantado passa por um período em que as pessoas vão ter imensa dificuldade em utilizá-lo. Não se preocupe. Não foi você que ensinou errado, não é a equipe que é burra demais. Tudo o que eles precisam é seu apoio, e em poucos meses, tudo acontecerá naturalmente.

9. Quem gerencia, ensina:

A pessoa que gerencia uma equipe, deve ser sua treinadora. Apenas com o acompanhamento diário do treinador, a equipe entenderá que a coisa é mesmo séria. Treinamentos isolados do ambiente de trabalho, terão maiores dificuldades de se refletirem com qualidade na rotina empresarial.

10. Somente os resultados motivam:

Quer que sua equipe fique motivada com os novos procedimentos? Preocupe-se em ensinar direitinho! Não deixe arestas! Lembra quando você ainda estava na escola primária? Você só gostava das matérias que entendia bem. Não confunda! Não é que você entendia bem porque gostava…

Não importa o assunto que será ensinado. siga estas dez regrinhas, e organize o treinamento de acordo com sua experiência profissional.

Tudo vai dar certo!

Rico de Moraes
Consultor em Marketing e Gestão
www.mgroupconsultores.com.br

Publicidade

shadow


Deixe uma resposta